Nutrire: valorizamos quem valoriza você!

Menu
03.09.2018

Pulgas: cuidados com o ambiente do pet

As pulgas são insetos que gostam de temperaturas altas, ambientes úmidos e que se alimentam do sangue de animais, especialmente cães e gatos. Apesar de parecerem todas iguais, já foram descritas mais de duas mil espécies de pulgas em todo o mundo. Uma pulga pode viver até um ano ou mais e, no caso das fêmeas, colocar mais de dois mil ovos durante a sua vida, o que pode fazer com que o número de pulgas numa infestação aumente rapidamente.

A transmissão ocorre pelo contato com animais infestados ou com ambientes onde elas estejam presentes. O fato de passear com o seu cão num jardim, onde tenha passado anteriormente outro animal com pulgas, é suficiente para trazer pulgas para casa, onde a fêmea coloca seus ovos e inicia a infestação.

As pulgas causam doenças e transmitem parasitas. A saliva, que é injetada, pode provocar irritação e outras doenças de pele, como a dermatite alérgica à picada da pulga (DAPP). Se o número de pulgas for muito grande, o animal pode desenvolver anemia devido à grande quantidade de sangue perdida.

Identificar se o seu animal está infestado não é tão complicado. Primeiro, procure entre os pelos se há alguma pulga, caso não identifique, procure por uma sujeira preta parecida com pimenta do reino moída. Essas sujeirinhas são as fezes da pulga, e são basicamente sangue coagulado que elas sugaram.

No cão, as principais lesões se encontram na base do rabo, normalmente a área onde ele coça mais. Nos gatos, a área mais afetada é a cabeça.

As pulgas podem transmitir um verme intestinal que apresenta um formato de grão de arroz, a presença dele é um indicativo de que o animal está infestado.

O tratamento deve começar pelo ambiente onde seu pet vive, pois somente 5% das pulgas ficam no cão ou no gato. Para melhor controle e também para prevenção das infestações, confira as dicas a seguir:

  • Aspire tudo o que for possível: chão, principalmente nas frestas, carpetes, móveis por baixo e por dentro, caixas de transporte, tapetes, almofadas, sofás, etc. Dar maior atenção aos locais úmidos e que não estejam muito expostos à luz solar, pois é onde as larvas se escondem até se tornarem pulgas adultas. Ao término da aspiração, coloque o saco dentro de outro saco e descarte de preferência fora de casa;
  • Lavar com água quente as roupas e cobertores em que houve o contato;
  • Utilizar um inseticida para uso ambiental auxilia e acelera o controle da infestação. Na escolha do produto, tenha muita atenção aos rótulos para se certificar de que não ocorra o risco de intoxicação de pessoas e animais. Em casos mais graves, uma empresa de desinsetização se torna necessária para controlar a infestação;
  • Feito o controle ambiental, inicia-se o procedimento no animal. Existem diversos tipos de tratamento, como pipetas, que devem ser aplicadas na nuca do animal, e comprimidos, que ficam presentes na corrente sanguínea. Cada caso cabe um método a ser aplicado;

E lembre-se: Trate todos os animais da casa, certifique-se que o produto é de uso veterinário e indicado para o animal no qual vai ser utilizado e, em caso de dúvidas, consulte seu médico veterinário de confiança.


Paulo Henrique Andriello Halas, Médico Veterinário, formado em 2003 na Universidade Metodista de São Paulo, Vendedor Sênior na Nutrire.

Voltar
19.01.2018

Birbo é parceira no adestramento do Cusco, novo cachorrinho do Guri de Uruguaiana

Leia mais
27.07.2018

As vacinas do seu pet estão em dia?

Leia mais
10.05.2018

Nutrire presente pela quarta vez na feira líder mundial do setor pet

Leia mais