Nutrire: valorizamos quem valoriza você!

Menu

Gostou desse conteúdo? Preencha o formulário abaixo para receber mais novidades exclusivas do nosso blog:

Você gosta de cães ou gatos?

23.11.2018

Depressão em pets existe! Fique atento aos sintomas

Vamos falar de um assunto muito delicado, tanto para humanos como para os pets. Sabemos que a depressão é considerada o “mal do século”, e diferente do que muitos pensam, os animais também são acometidos por essa doença, que é silenciosa e exige muito cuidado na identificação e tratamento.

Entre as principais causas de depressão em cães e gatos, estão mudanças significativas de rotina ou ambiente, a chegada de um novo membro na família, a perda de uma pessoa ou animal de convívio, alguma doença que tenha alterado a rotina e hábitos do pet, e principalmente, o desencadeamento de sentimentos como abandono e solidão, geralmente em consequência da diminuição de atenção, cuidados e carinho.

Percebemos os seguintes sintomas atrelados a depressão:

  • Falta de apetite e consequente emagrecimento;

  • Apatia, onde o animal fica mais quieto e desanimado;

  • Perda de interesse por brinquedos e atividades que antes eram prazerosas;

  • Resistência ao toque, que normalmente é o sintoma que mais chama a atenção do dono, pois o seu pet acaba não aceitando o carinho que antes sempre era muito esperado.

E, para os gatos, além dos sintomas já mencionados, em alguns casos o animal pode apresentar episódios de agressividade.

Sempre que notamos qualquer tipo de alteração no comportamento dos pets, e temos a suspeita de alguma doença, devemos agendar uma consulta com o médico veterinário. Assim, com as ferramentas e informações adequadas, o veterinário tem condições de diagnosticar e diferenciar a depressão de tantas outras doenças que podem causar sintomas semelhantes.

Por serem parte da família, cada vez mais as pessoas se preocupam e buscam informações e cuidados adequados para os pets. Esse conhecimento auxilia na prevenção de doenças como a depressão, por meio de cuidados com a rotina do animal, exercícios, passeios e muito amor e carinho. Além desses cuidados, por vezes se faz necessária a prescrição de medicamentos, por isso lembramos, consulte o médico veterinário regularmente.

Luana Walendorff Sartori

Médica Veterinária, formada pela Universidade de Passo Fundo. Gestora Técnica Comercial na Nutrire Industria de Alimentos e Ltda.

Voltar
09.05.2019

A aprendizagem de um cão: como ensinar meu filhote?

Leia mais
09.02.2018

Como escolher a ração ideal para o seu cão?

Leia mais
28.11.2018

Monello é premiada com o Carrinho AGAS 2018

Leia mais