Nutrire: valorizamos quem valoriza você!

Menu

Gostou desse conteúdo? Preencha o formulário abaixo para receber mais novidades exclusivas do nosso blog:

Você gosta de cães ou gatos?

06.04.2021

Depois da Páscoa: deixe seu pet longe do chocolate

Muitos ovos de chocolate, doces e guloseimas marcaram a Páscoa na maior parte dos lares brasileiros, especialmente nas casas onde as crianças esperaram amanhecer para encontrar as pegadas deixadas pelo coelhinho.

A magia da Páscoa é mesmo contagiante, mas para quem possui animais de estimação, pode ser um perigo e tanto. Até porque, quando o feriado acaba, sempre sobra aquele chocolate que ninguém comeu ainda, não é verdade? Até aí tudo bem, o problema é quando esse restinho vai parar na boca do seu pet, seja porque você não resistiu aos apelos incansáveis e fofos do seu melhor amigo ou ele se aproveitou de algum momento de distração para furtar um ovo que estava dando sopa.

Quem alerta é a veterinária da Nutrire, Dra. Luana Sartori. "Todos já sabem que o chocolate não é indicado para cães e gatos, mas poucas pessoas entendem o motivo dessa preocupação. A vilã dessa história se chama Teobromina - composto encontrado no cacau", diz.

Ocorre que o organismo dos animais não consegue metabolizar essa substância, ou seja, ela se acumula no corpo do pet. Aí que mora o perigo, pois a Teobromina em excesso ocasiona muito mais do que problemas estomacais, podendo causar doenças no coração e no cérebro do bichinho.

Ação tóxica por dias

Além de tudo isso, essa substância fica agindo no organismo do animal por até seis dias. Por isso, o chocolate é alimento proibido para cães e gatos. Aliás, seu melhor amigo deve comer apenas alimentos feitos especificamente para ele.

"Se o pet furtou o chocolate e apresenta alterações como aumento de contrações musculares, excitação nervosa, micção em excesso, elevação da temperatura corporal, respiração acelerada, taquicardia, vômitos ou diarreia, leve-o imediatamente ao veterinário", indica.

Prevenir ainda é o melhor remédio

Esconda o chocolate ou deixe em locais altos onde o pet não tem acesso. Tanto o cheiro como a embalagem podem despertar a curiosidade do cão. Se estiver muito difícil suportar os olhares de súplica do animal, dê uma guloseima feita especificamente para ele. Em caso de ingestão acidental, você já sabe: o animal deve ser avaliado por um médico veterinário.

Outros alimentos proibidos

Dra. Luana ressalva que os animais devem se alimentar de produtos preparados exclusivamente para suprir suas necessidades. A especialista fez uma lista de alguns itens que devem ficar longe do seu pet.

"Alho e cebola também são alimentos que não devem ser permitidos. A cebola, inclusive, pode ser tóxica para o pet se consumida em grandes quantidades. O abacate também é bastante prejudicial para a saúde de cães e gatos, isso porque ele possui a persina - substância rica em gordura", revela.

A carambola, as frutas secas, uva, café e chás não devem ser oferecidos aos animais. Além de provocar vômito e diarreia, alimentos desse tipo são responsáveis por problemas digestivos sérios e intoxicação.

Qual é a ração ideal?

São muitas as opções no mercado pet e a escolha deve ser feita de acordo com alguns critérios como o paladar do bichinho, a quantidade de nutrientes do produto, a qualidade da produção e, claro, alimentos que auxiliem na imunidade do seu melhor amigo.

"O ômega 6 - da mesma família do 3, auxilia na manutenção de uma pele e pelagem forte e bonita. E também temos os antioxidantes como zinco, selênio, vitaminas A e E, que garantem saúde e longevidade aos pets", completa.

Voltar
11.01.2018

As férias chegaram. Levar ou não o mascote?

Leia mais
07.04.2020

PETS: Solidariedade na pandemia

Leia mais
23.12.2017

Não esqueçam dos pets nas festas de fim de ano!

Leia mais